A percepção daqueles a quem podemos incluir na condição de quem incita o pensar, o repensar, o olhar de pluralidade e tantos outros atributos de um ser humano desalienado, há de estar recheada de fértil imaginação e, consequentemente, dotados de capacidade para a gestação de textos literários, logo, que se desviam do lugar comum para abarcar o encanto, o pensar e o repensar a realidade, incitar reflexões que tornam os leitores inquietos, provocando-os, porque os conduzem a ver o que antes não viam.
O bom texto literário tem esse viés e, como Itaerço viaja, ininterruptamente, por essas estradas. Portanto, tudo o encanta, tudo o inquieta, tudo o provoca. E eis que esse nosso escritor nunca para. Corre os dedos no teclado e a imaginação fertiliza a criação. E cria, e cria, e cria. Não o texto árido, oco, mas as palavras que se organizam para registrar o fértil poder imagético dele.
Recorrendo à metonímia, ler Itaerço é ver o mundo sob várias perspectivas: há o prazer, quase sempre presente, na beleza estética de quem constrói bons textos poéticos, mas também há o grito estridente dos que, como ele, não se conformam com a estupidez dos indignos que, injustificadamente e, sem o devido mérito, estão em posições como se dignos fossem. É o jornalista, escritor de literatura, brincando, às vezes, e falando sério, quase sempre, daquilo que o torna um crítico, ou, contrastando, encanta-se. E haja cantar aquilo que lhe fala à alma ou lhe causa indignação, diante do que vê. Constrói unidades de sentido para conferir a descoberta de sentido dos que ainda não se atêm à realidade do mundo que os cerca.
Singrando outros mares, em busca de aprimorar o conhecimento do instrumento do seu trabalho, a Língua Materna, embarca no barco da metalinguística e, com a perspicácia do estudioso se me mostra o texto “Crase”. Gisele é texto para quem sabe explorar e esmiuçar a semântica dos verbetes do nosso rico Idioma. Há um jogo de palavras interessantíssimo. Ate parece Vieira e a maestria de como ele trabalhou a linguagem conceptiva.
Somente lendo, com proficiência, descobrir-se-á o valor literário de Itaerço.
Que lhes sejam agradáveis as viagens, leitores. Aceitem o convite do escritor e, sem medo, entrem nos bosques de sua criação.

Um Punhado de Poesia e Uma Mão Cheia de Prosa

REF: 9788583380030
R$30.00Preço
  • Adquira o livro digital na sua livraria de preferência:

     

    Google Play

    Livraria Saraiva

    Amazon

  • Autor: Francisco Itaerço Bezerra

    Ano: 2014

    Nº de págs: 200

    Altura: 21,00 cm

    Largura: 14,00 cm

    Espessura: 1,2 cm